fbpx
segunda-feira, setembro 16
Capa Elisa e Marcela

Elisa e Marcela: a história do casal que quebrou paradigmas

Elisa e Marcela eram um casal apaixonado que buscava viver o amor em paz, em uma época onde a homossexualidade era imoral e sujo. Conheça a história das mulheres que quebraram paradigmas e chocaram a sociedade.
0
83

Em 8 de junho de 1901, a Igreja Católica estava realizando o casamento de Elisa e Marcela, o primeiro e único casamento homoafetivo de toda a sua história. 

Marcela Gracia Ibeas e Elisa Sánchez Loriga se casaram na paróquia de Dumbría, na Espanha e conseguiram enganar a quase todos através dessa união. 

Em uma época onde a homossexualidade era algo visto como impuro e imoral, Elisa se transformou em Mario, seu primo falecido, para poder se casar com sua amada Marcela. 

Por conta da caracterização perfeita, o pároco local acreditou que estava realizando um casamento heterossexual, mas ele se enganou.

Elisa e Marcela

Elisa e Marcela passeando pela praia em uma das cenas do longa.

Essa história de superação e amor merecia ser contada para o mundo e assim nasceu o filme Elisa e Marcela. Um longa dirigido por Isabel Coixet e baseado em fatos reais do casal.

Quer entender melhor essa história? Vem comigo que eu vou te contar tudo sobre o filme.

Veja Também:

Entenda a história que deu origem ao filme Elisa e Marcela

Marcela Gracia Ibeas e Elisa Sánchez Loriga se conheceram em uma escola de freiras e acabaram se apaixonando perdidamente.

Elisa era sobrinha da diretora da escola e Marcela era filha de um pai muito conservador e abusivo, ou seja, nada conspirava para que as duas pudessem viver esse romance em paz.

As duas decidiram buscar autonomia financeira antes de tomar qualquer decisão então começaram a trabalhar como professoras e agora estavam prontas para dar um passo muito importante e marcante na relação.

Para poder viver esse amor sem que fossem mortas ou presas, Elisa se transformou em Mário, um primo que já havia falecido.

E em pleno século XX, o casal conseguiu enganar a igreja católica, com Elisa caracterizada de Mário e acabaram se casando com direito a votos diante do padre, como homem e mulher, fotografias e papéis assinados.

Elisa está vestida de Mário.

Uma foto real do casal, onde Elisa está vestida de Mário.

Como nada fica encoberto durante muito tempo, começaram a aparecer boatos na cidade de que na verdade Mário era uma mulher. Quando as fofocas se confirmaram, começou uma “caça às bruxas”, para punir o casal que só queria viver seu amor em paz.

A história das duas foi publicada em jornais por todos os cantos da Espanha, e Elisa e Marcela ficaram muito conhecidas. 

Tentaram fugir para Portugal, mas acabaram sendo presas, conseguiram escapar e foram parar em Buenos Aires e esse é o último relato que se tem delas.

O filme Elisa e Marcela é sensível e de extrema importância 

É muito importante que alguns anos depois, a história de Elisa e Marcela seja contada de uma forma tão sensível e forte. 

A diretora do filme escolheu muito bem o tom para narrar a história para o público. 

Apesar de não ter se aprofundado muito nas personalidades de cada uma, ela cumpriu o que prometeu: contar a história dolorida do casal.

Todo o enredo também foi produzido em cima de fatos reais do casal que foram provenientes de uma pesquisa feita por Narciso de Gabriel, que também estão disponíveis no livro: Elisa y Marcela – Más Allá de Los Hombres (Elisa e Marcela – Além dos Homens) . 

Confira o trailer oficial

O longa foi produzido pela Netflix, que além de tudo conseguiu promover a estreia do filme no Festival de Berlim de 2019.

Depois de ter sido exibido em algumas salas de cinema da Espanha, o filme chegou na plataforma e pode ser encontrado lá.